segunda-feira, 15 de julho de 2019

Acusada de fraude, Xuxa poderá pagar R$ 50 milhões de indenização


 Xuxa (Foto: Reprodução / Instagram)
A apresentadora Xuxa Meneghel se envolveu em uma briga na Justiça e está sendo processada pelo empresário Leonardo Soltz, que alega que a empresa da famosa copiou os personagens de um projeto que ele havia apresentado a ela. A loira corre o risco de ver seus sigilos (bancário e fiscal) quebrados, além de ter de pagar uma indenização que pode chegar a mais R$ 50 milhões.

Segundo informações da colunista Fábia Oliveira, do jornal ‘O Dia’, Xuxa é acusada de ter copiado a ideia e ter usado os personagens em formato de licenciamento para uma linha completa de produtos de vários segmentos. Soltz já ganhou a ação, mas a apresentadora vem tentando recorrer da decisão.
Xuxa ainda é acusada por seu ex-sócio, Luiz Claudio Lopes Moreira, de estar esvaziando o patrimônio de uma de suas produtoras e passando os valores para outra, dela também, como maneira de se prevenir contra o pagamento de indenizações e, segundo o autor da ação, diminuindo o valor da sociedade da qual o mesmo faz parte. A acusação já solicitou a ‘quebra de sigilo fiscal e bancário da Xuxa Produções’.
Ainda segundo a publicação, os cálculos preliminares da perita assistente do caso dão conta de que os números podem chegar a mais de R$ 50 milhões, com possíveis registros e documentos a serem apurados pelos trabalhos periciais. Procurada, a assessoria de Xuxa disse que não comenta notas que envolvam a Justiça. Por Notícias ao Minuto

domingo, 14 de julho de 2019

Mulher empurra Padre Marcelo Rossi de altar durante missa em São Paulo

Uma mulher invadiu o altar e empurrou o padre Marcelo Rossa durante uma missa, neste domingo (14). Ela foi contida pela Polícia Militar e o padre não ficou ferido.
O padre participava da missa de encerramento de um acampamento, quando a mulher furou a segurança, invadiu o palco e empurrou o padre, que caiu da estrutura, sem ter como se proteger.
Acompanhantes da mulher informaram que a mulher sofre de transtornos mentais. O encontro aconteceu em São Paulo e ela teria ido do Rio de Janeiro até o local. Mais PB
Veja momento:

Imagem exibe mulher que venderia sua própria filha por R$ 2 mil em hospital


 Câmera flagra mulher que tentou vender bebê dando entrada na maternidade em Santos (SP) (Foto: Reprodução)
Imagens de monitoramento do Hospital e Maternidade Silvério Fontes, em Santos, no litoral de São Paulo, mostram o momento em que a mulher de 40 anos que tentou vender a filha a uma desconhecida dá entrada na unidade. Segundo apurado pelo G1, ela teria negociado a criança por R$ 2 mil. Ambas seguem internadas em estado estável.
A situação aconteceu na madrugada de sábado (13). A mulher deu entrada na maternidade no bairro Castelo, em trabalho de parto, acompanhada de uma mulher que dizia ser sua irmã. Após a internação, funcionários descobriram que, na verdade, a gestante havia dado um nome falso e negociado a criança.
O G1 teve acesso a uma imagem de monitoramento divulgada pela prefeitura da cidade neste domingo (14). É possível ver a mulher na maca sendo deslocada no interior da maternidade por socorristas. A todo o tempo, ela passa as mãos no rosto, aparentando desespero e desconforto com as dores.
Ao lado da maca, a irmã acompanhante, que na verdade compraria a criança, aparece de camiseta branca e segurando uma bolsa de cor roxa. Ela recebe a orientação de um dos funcionários para aguardar fora do setor de emergência. Segundo testemunhas, após a imagem, ela fugiu do local.
De acordo como secretário de Saúde de Santos, Fábio Ferraz, o caso é delicado, uma vez que foi constatado que, além de ser usuária de drogas, é portadora de sífilis. “Ela passou por um profissional de psiquiatria que fez um laudo confirmando a abstinência nesse período”, explicou ele ao G1.
Prematura, criança segue internada em UTI Neonatal de maternidade, em Santos, SP (Foto: Isabella Lima/G1)
Ainda de acordo com Ferraz, a mulher só confessou a venda após ficar nervosa com o distanciamento do recém-nascido. “Ela apresentou estado de ansiedade, a equipe percebeu e começou a ter uma conversa mais franca com a paciente. Foi quando ela assumiu a identidade falsa e a venda por R$ 2 mil”.
O secretário considera o fato do uso de um nome falso inédito. “Ficamos abismados com essa situação”, confessou. Prematura, a criança segue internada na UTI Neonatal da unidade, e por a mãe não ter feito pré-natal, não há como precisar o tempo de vida do bebê, uma menina.
O G1 questionou a Secretaria de Segurança Pública (SSP) sobre a investigação do caso e o paradeiro da compradora da criança, mas a pasta respondeu apenas que o caso é investigado pelo 5º Distrito Policial da cidade. A mãe da criança, moradora de rua e usuária de drogas, será ouvida após receber alta. O bebê deverá ficar sob os cuidados do Conselho Tutelar. Por G1

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Governo da Bahia volta atrás e admite rompimento de barragem


Após o rompimento, cerca de 500 pessoas foram resgatadas de inundação / Foto: Reprodução/Youtube
Após o rompimento, cerca de 500 pessoas foram resgatadas de inundação
Foto: Reprodução/Youtube
Do jornal Correio para a Rede Nordeste

A constatação foi realizada no final da manhã desta sexta-feira (12) em vistoria realizada por técnicos da Defesa Civil do Estado e do Corpo de Bombeiros.
"O Governo do Estado esclarece que, inicialmente, houve o transbordamento da barragem, com rachadura nas laterais. No entanto, a pressão da água acabou provocando rompimento parcial do equipamento", disse o governo em nota.
Uma nova vistoria será realizada na tarde desta sexta-feira (12) para avaliar a extensão dos danos provocado pelo rompimento da barragem, além da situação das barragens vizinhas à localidade de Quati.

Após o ocorrido, cerca de 500 pessoas foram resgatadas de inundação em Coronel João Sá e Pedro Alexandre. Apenas o município de Coronel João Sá tem prejuízo estimado de R$ 10 milhões com rompimento de barragem. Nesta sexta-feira (12), o prefeito de Salvador colocou a Defesa Civil da cidade à disposição dos dois municípios atingidos.

DEVASTAÇÃO

O cenário na cidade de Coronel João Sá na manhã desta sexta-feira (12) é de devastação. O bairro da Barroquinha é um dos mais atingidos. Nele, seis casas foram interditadas pelos bombeiros. Carros-pipa foram contratados pela prefeitua de Coronel João Sá para retirar água de dentro dos imóveis. Em uma das casas da rua, por exemplo, o serviço está sendo feito há três horas.
O cemitério da cidade foi completamente destruído. Covas e cruzes foram reviradas pela força da água. Bombeiros colocaram cordas sobre a ponte da cidade, que foi interditada, para facilitar o acesso dos moradores.