segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Lula pode vir ao Recife no próximo domingo (17)

Apesar da expectativa, a assessoria do PT negou que haja confirmação de agenda com o ex-presidente na capital pernambucana / Foto: Roberto Stuckert Filho/PT
JC Online
Com informações do jornal O Globo
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve visitar o Recife nesta semana, o que pode marcar o início das viagens do petista pelo País na fase pós-prisão. Ele é esperado por aliados em Pernambuco para o Festival Lula Livre, que acontece no domingo (17), no Recife. Apesar disso, a assessoria da legenda negou que haja agenda prevista com Lula na cidade.

Título de cidadão do Recife

É possível ainda que Lula, nascido em Garanhuns, no Agreste, receba da Câmara Municipal do Recife quer viabilizar o título de cidadão recifense. O pedido apresentado pelo vereador e ex-prefeito do Recife João da Costa (PT) deve ser protocolado nesta segunda (11). A ideia é tentar votar a matéria em regime de urgência para que Lula receba o título na segunda (18).
Apesar da expectativa, a assessoria do PT negou que haja confirmação de agenda com o ex-presidente na capital pernambucana.

Festival Lula Livre

Após passar por cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, o Festival Lula Livre, em defesa da libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Operação Lava Jato, será realizado no Cais da Alfândega, Bairro do Recife, no dia 17 de novembro. Até esta quarta-feira (6), estavam confirmados shows de artistas como Odair José, Siba, Marcelo Jeneci e Mundo Livre SA.

Primavera contribui para aumento de casos de conjuntivite alérgica; confira como se prevenir


 Confira as dicas de especialistas
Com a chegada da primavera, é comum o aumento dos casos de conjuntivite alérgica. Mas por que a estação das flores e os dias mais longos e quentes favorece esse quadro? A resposta está no pólen das plantas.

O pólen é uma pequena substância que algumas árvores e flores dispersam pelo ar, geralmente no início da manhã, no final da tarde e em alguns momentos em que o vento balança as folhas das árvores, atingindo pessoas geneticamente predispostas.
Segundo a Dra. Renata Rabelo Ferretti, oftalmologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, o tempo seco e a variação de temperatura, que favorecem a suspensão de pequenas partículas no ar, são alguns fatores que contribuem para esse quadro alérgico.
“Durante a primavera, o pólen é levado de uma planta para outra por insetos ou pelo vento, o que pode ocasionar a entrada desses grãos pelas vias nasais ou pelos olhos, através do contato da vista [ainda que de forma indireta, ao coçar os olhos, por exemplo] com substâncias que despertam quadros alérgicos em determinados indivíduos”, explica.
A especialista destaca que a conjuntivite é definida como uma inflamação da conjuntiva, membrana transparente e vascularizada que está localizada sobre a esclera (parte branca dos olhos).
“Os principais tipos de conjuntivite são viral, bacteriana e alérgica, sendo a última pontual e mais comum nesta época do ano. Entretanto, geralmente mais simples de ser combatida”, complementa a oftalmologista.
Entre os principais sintomas da conjuntivite estão a vermelhidão e lacrimejamento dos olhos. No entanto, em alguns casos, também podem ocorrer inchaço nas pálpebras, intolerância à luz e visão embaçada.
O tratamento envolve de soro fisiológico e colírios, e poder levar de 7 a 20 dias, dependendo da gravidade da doença.
Confira algumas dicas da especialista para não desenvolver conjuntivite alérgica durante a Primavera:
Realizar a limpeza dos olhos e do nariz com soro fisiológico para hidratar;
Evitar coçar os olhos;- Evitar frequentar jardins ou locais com muito vento;
Lavar as mãos com frequência, uma vez que elas são agentes transmissores de vírus e bactérias;
Deixar as janelas de casa e do carro fechadas no início da manhã e no fim da tarde;
Trocar com mais frequência as toalhas de rosto, lençóis e fronhas.
Em caso de acometimento ocular, deve-se procurar um especialista, que poderá orientar os exames necessários para diagnóstico e tratamento adequado . Notícias ao Minuto

sábado, 9 de novembro de 2019

Sport vence Criciúma com Ilha lotada e fica mais perto da Série A


Sport venceu jogo

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
JC 
Mais uma atuação suficiente para conquistar os três pontos. A tônica do Sport na Série B é, no geral, essa. Não sobra com relação aos adversários, mas faz o necessário para vencer. Com gol de pênalti de Guilherme na segunda etapa, o Leão deu mais um passo para conquistar o acesso, alcançando os 60 pontos. Além disso, a vitória por 1 a 0 sobre o Criciúma contou com o maior público do Rubro-negro na Ilha do Retiro na competição: 22.158 pessoas.
Destaque negativo para as lesões do atacante Hernane e do meia Leandrinho. O Brocador, após pancada, sofreu um trauma no rosto e teve um afundamento da face no local. Ainda é difícil cravar se terá condições para enfrentar o Botafogo-SP na quarta-feira, às 21h30, em Ribeirão Preto. Da mesma forma o meio-campista, que sentiu a panturrilha e foi substituído, em prantos, no começo da etapa final. Um desfalque certo é o volante Charles, que tomou o terceiro amarelo e cumprirá suspensão.

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Ex-presidente Lula deixa prisão em Curitiba

Lula deixa a sede da PF em Curitiba após um ano e sete meses de prisão / Foto: HENRY MILLEO / AFP

O relógio marcava 17h42 quando o ex-presidente Lula (PT) deixou a sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba, na tarde desta sexta-feira (8), uma hora depois da expedição do alvará de soltura, onde estava preso desde 7 de abril de 2018. A saída do petista da prisão acontece após o Supremo Tribunal Federal (STF) considerar, por seis votos a cinco, a prisão após condenação em segunda instância inconstitucional na noite dessa quinta-feira (7).


A ordem de soltura do petista foi dada pelo juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, menos de 24 horas depois de o Supremo Tribunal Federal declarar inconstitucional a prisão após condenação em segunda instância - caso de Lula.
Poucos minutos após a saída, às 17h53, o ex-presidente iniciou um discurso a aliados que o esperavam na frente da sede da PF, onde montaram um acampamento desde o início da prisão do petista. Em seguida, Lula deve viajar para São Paulo, onde participa, segundo correligionários, de um ato político no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, interior paulista.

Decisão do STF

A decisão da Suprema Corte foi anunciada por volta das 21h40 da quinta, depois que o ministro Dias Toffoli, presidente do tribunal, desempatou a placar da votação ao defender que condenados só podem ser presos após o trânsito em julgado, isto é, quando não houver mais possibilidade de recursos. Com isso, o STF mudou o entendimento que mantinha desde 2016 pela prisão após a condenação em segunda instância.
Em seu voto, Toffoli ressaltou ainda que a votação do STF era para definir se o artigo 283 do Código de Processo Penal (CPP) está em acordo com a Constituição Federal. O texto legal afirma que a prisão só pode acontecer após trânsito em julgado ou quando houver prisão em flagrante ou, por ordem escrita e fundamentada, for necessária a prisão cautelar.

Caso triplex

Lula foi condenado no caso triplex pelo ex-juiz Sergio Moro, atual ministro de Justiça e Segurança Pública, que lhe impôs nove anos e seis meses de reclusão. A pena foi aumenta para 12 anos e 1 mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o Tribunal da Lava Jato. Em abril deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reduziu a sanção para 8 anos, dez meses e vinte dias de reclusão.
O petista cumpria pena desde a noite de sete de abril de 2018 em uma cela especial dentro da Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense. O ex-presidente é acusado de receber propinas da empreiteira OAS em troca de contratos da Petrobras.
O repasse teria sido materializado em obras de melhorias e ampliação de um triplex no edifício Solaris, no Guarujá, no litoral paulista, e também por meio do armazenamento de bens que o ex-presidente recebeu durante seus dois mandatos no Planalto, entre 2002 a 2009.
Lula sempre negou o recebimento de vantagens indevidas. Ele é réu em outras ações penais, como no caso do sítio de Atibaia, no interior paulista, pelo qual foi condenado a doze anos e onze meses de reclusão pela juíza Gabriela Hardt em fevereiro deste ano. O caso será julgado no próximo dia 27 pelo TRF-4, que analisará se a sentença será anulada e o processo remetido de volta às alegações finais. JC Online com agências