terça-feira, 21 de maio de 2019

Rodrigo Faro despreza salário que ganhava na Globo e dispara: “vou substituir o Faustão”


O apresentador Rodrigo Faro surpreendeu os fãs ao falar sobre o salário que ganhava na época em que era ator da TV Globo
O apresentador Rodrigo Faro surpreendeu os fãs ao falar sobre o salário que ganhava na época em que era ator da TV Globo. No quadro Youtubers Querem Saber, do Programa Raul Gil, ele relembrou o trabalho em novelas como O Cravo e a Rosa e O Profeta. Falou sobre futuro na Record e brincou sobre substituir o Faustão.
“Essa é uma época muito gostosa, mas o trabalho é muito grande. Quando você tá fazendo novela, meio que você não tem vida”, disse ele.
Questionado sobre o salário, ele foi taxativo. “Não chega nem em 10% do que eu ganho hoje. Você faz uma merchandising hoje e ganha o cachê do mês inteiro”, afirmou ele.
Na conversa, Faro também falou da amizade com Angélica e desmentiu que os dois viveram um romance nos anos 2000. “Eu gravei uma música com a Angélica em 1998. Na época todo mundo falava que a gente namorava, mas ela é uma amiga minha de muitos anos. Nunca tive nada, até hoje a gente brinca com isso”, disse.
O apresentador Rodrigo Faro falou abertamente sobre os rumores de que pode ser o nome cotado para substituir Fausto Silva no futuro da Globo. Em uma conversa com Antonia Fontenelle no YouTube, ele foi questionado sobre a possibilidade e esbanjou sinceridade em sua resposta.
“Toda hora dizem que vou substituir o Faustão. Mas o Faustão vai até os 112 anos, gente. O Faustão vai largar aquele osso lá?! Ele é um sucesso há 30 anos. Mas é legal ouvir isso das pessoas. A verdade é que eu nunca fui sondado pela TV Globo e estou muito feliz na Record”, afirmou ele.
Responsável pelo programa Hora do Faro, o comunicador também falou sobre a concorrência aos domingos, já que disputa o público com Faustão e Silvio Santos, no SBT. “O Faustão já faz parte do seu domingo. E o domingo é para todo mundo, criança, idoso, não tem classe social. E a briga é grande, a responsabilidade é grande. O Faustão já está há 30 anos. Silvio Santos tem 50 anos. Eu estou formando o meu público nesses 5 anos. Isso para mim é maravilhoso”.
Faro já era o artista com o melhor contracheque da Record. Seu salário fixo era de R$ 600 mil mensais, mas ele chegou a receber R$ 2,2 milhões somando as comissões por merchandising.
Pelo novo contrato, o apresentador do Hora do Faro vai passar a ganhar R$ 700 mil fixos por mês e uma comissão maior sobre merchandising.
Segundo fontes na Record, ele receberá até R$ 30 mil de cachê por testemunhal que fizer em seu programa. No final do mês, poderá embolsar até R$ 3 milhões. Nas épocas de vacas magras, receberá pelo menos R$ 2 milhões. Na média anual, isso dará algo próximo a R$ 30 milhões. Com esses vencimentos, Faro chegará ao patamar salarial que a Record se comprometeu a pagar a Gugu Liberato, em 2009. A emissora, no entanto, não conseguiu viabilizar o supersalário com publicidade e antecipou o fim do contrato, em meados de 2013.
Com Faro é diferente. Primeiro, porque seu salário fixo é bem menor. Segundo, porque ele é um campeão de vendas, não só em seu programa como fora dele, como garoto-propaganda de várias marcas. Há fila de anunciantes interessados no Hora do Faro. O programa já chegou a ter 15 merchandisings por edição, uma quantidade gigantesca mesmo em quatro horas de duração, o que pode comprometer sua audiência média, para desespero dos executivos da área artística e de programação. Faro é hoje o único apresentador fora da Globo a fazer frente aos maiores salários pagos pela maior rede de TV do país. Ele disputa um lugar entre os cinco mais bem remunerados dos país com Fausto Silva, Galvão Bueno, Ana Maria Braga, Luciano Huck e Fátima Bernardes.Por Nayara Bolognesi

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Bebê de 5 meses morre após ser espancada pelo pai por ter nascido menina

Bebê de 5 meses morre após ser espancada pelo pai por ter nascido menina

Uma bebê de 5 meses morreu após ser espancada, nesta sexta-feira (17), na Comunidade Sítio do Cajá, no município de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. De acordo com a Polícia Civil, o pai, Augusto Silva da Cruz, foi preso suspeito de cometer o crime. A mãe Silvânia Maria Viana afirmou que o homem teria espancado a bebê por ela ser uma menina.

Agressões

Ainda segundo a Silvânia, nos nove anos de relação, ela sempre apanhou do companheiro e, depois do nascimento da filha, as duas passaram a apanhar. A criança chegou a ser encaminhada para o Hospital da Restauração, no Recife, mas não resistiu.
O Conselho Tutelar de São Lourenço foi acionado para acompanhar o caso. O suspeito foi preso e levado para a Central de Plantões, onde presta depoimento, e será encaminhado para audiência de custódia neste sábado (18).TV Jornal

sábado, 18 de maio de 2019

Suspeito de jogar carro contra árvore e matar ex-mulher no Recife é solto


O crime aconteceu no dia 4 de novembro de 2018  / Foto: Reprodução/ TV Jornal
Foto: Reprodução/ TV Jornal
JC Online

O suspeito de jogar o carro contra árvore e matar a ex-mulher no dia 4 de novembro de 2018, na Rua João Fernandes Vieira, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, teve a prisão preventiva revogada nesta sexta-feira (17) após decisão da Primeira Vara do Tribunal do Júri Capital, proferida pelo juiz Ernesto Cavalcante. Guilherme José de Lira Santos estava preso no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife (RMR), desde o dia 17 de novembro.
Segundo a decisão, Guilherme terá que comparecer mensalmente ao juízo para assinar o termo de compromisso e informar suas atividades. O suspeito também está proibido, conforme a decisão, de se ausentar da Região Metropolitana do Recife por mais de 15 dias sem antes obter autorização e informar para onde vai.


Em um trecho da decisão, o juiz responsável pela revogação da prisão preventiva de Guilherme diz que levou em consideração alguns fatos, como o fato de o suspeito ser réu primário e possuir emprego fixo. "... Analisando os fundamentos utilizados para justificativa a medida, expostos pelo Juízo que inicialmente recebeu este processo, confrontando-os com a argumentação apresentada pela defesa, quais sejam, a primariedade do acusado, o fato de possuir emprego e residência fixos, e de não ser indivíduo que represente perigo para a paz social caso posto em liberdade; somando-se a tudo isso, o quase encerramento da instrução processual, a medida cautelar da prisão preventiva perdeu correspondência com o fundamento legal utilizado para sua justificação", argumenta.

Família não concorda com soltura

Amigos e familiares de Patrícia Cristina Araújo Wanderley lamentaram a decisão. "Foi um choque e uma surpresa enorme. Nós não esperávamos isso porque o mesmo juiz já havia apreciado o relatório do Ministério Público e tinha dito que a prisão estava completamente correta. E hoje ele decide conceder a liberdade", declarou o tio de Patrícia e porta-voz da família, Marcílio Araújo. Segundo ele, a família pretende realizar um protesto contra a decisão.
"Diante da crueldade do crime, de como aconteceu, nós recebemos a notícia com tristeza e medo. A gente não pode esquecer o que aconteceu com Patrícia", disse Andrea Rodrigues, amiga de longa data da vítima. "Esse homem está livre e nem com tornozeleira ele está. Enquanto testemunha eu me sinto insegura", afirmou.

Promotoria vai recorrer da decisão

A promotora do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) responsável pelo caso, Ana Clézia, informou para a reportagem do JC que vai recorrer para o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) contra a decisão da Primeira Vara. "Eu respeito a decisão do magistrado, mas esse tipo de crime, as medidas cautelares que foram aplicadas, eu acho que não são adequadas para a condição desse processo porque as provas e as circunstâncias do crime recomendam um resguardo da ordem pública", declarou. "Diante dessa gravidade do crime, da premeditação, do modus operandi, há a necessidade da prisão", completou.

Veja quais foram as medidas cautelares

a) Comparecimento mensal a este juízo para assinatura do termo de compromisso e informar suas atividades, comparecendo em até 24 horas após sua soltura a esta Vara para assinar o termo de compromisso e declinar endereço atual, onde receberá demais intimação;
b) Proibição de se ausentar desta região Metropolitana do Recife, por mais de 15 dias, sem antes obter autorização deste Juízo e informar seu destino;
c) O comparecimento a todos os atos processuais que for intimado.
*dados divulgados pelo TJPE

Relembre o crime

Patrícia Cristina Araújo Wanderley, de 46 anos, morreu após o carro em que estava com o ex-marido colidir contra uma árvore na Rua João Fernandes Vieira, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, no dia 4 de novembro de 2018. O condutor do veículo era o ex-marido da vítima, Guilherme José de Lira Santos.
O homem foi preso sob a suspeita de ter jogado o carro intencionalmente contra a árvore, ocasionando assim, a morte da vítima. No dia 17 de novembro, ele foi preso e passou a responder por feminicídio.
Segundo a Polícia Civil, a vítima estava na casa dos pais para buscar os filhos do casal quando, após ser pressionada pelos filhos, decidiu conversar com o ex-marido. Ao entrar no carro, Guilherme saiu com o veículo. A vítima estava sem cinto de segurança no momento da colisão.

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Em nota, MEC anuncia Alexandre Lopes como novo presidente do Inep


Alexandre Lopes estava na Casa Civil / Imagem: Divulgação/Arquivo Pessoal/MEC

Imagem: Divulgação/Arquivo Pessoal/MEC
Estadão Conteúdo JC

O Ministério da Educação anunciou por meio de nota Alexandre Ribeiro Pereira Lopes como novo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A nomeação deve ser formalizada no Diário Oficial da União da próxima segunda-feira, dia 20.
Atualmente, Lopes é diretor legislativo do Ministério da Casa Civil, onde trabalhou com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, no período em que ele foi secretário executivo da pasta.

Segundo o MEC, Lopes é servidor público da carreira desde 1999 e já atuou como secretário de Gestão Administrativa e Desburocratização e subsecretário de Políticas Públicas do Governo do Distrito Federal. Ele é formado em engenharia química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e em direito pela Universidade de Brasília (UnB).
Esta é a terceira troca no comando do Inep desde o início do ano. Lopes assumirá após o delegado Elmer Coelho Vicenzi pedir para deixar o cargo, após menos de um mês na função.