sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Dois casos de sarampo são confirmados em Pernambuco


Tio e sobrinha não estavam vacinados para a tríplice viral / Foto: Ricardo B. Labastier/ Arquivo JC Imagem

Foto: Ricardo B. Labastier/ Arquivo JC Imagem
JC Online
Dois casos de sarampo em Pernambuco foram confirmados pela Secretária Estadual de Saúde (SES). As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (17), após o resultado dos exames realizados pela Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro (Fiocruz-RJ). 
Segundo as informações, o homem, de 27 anos, teria contraído a doença em uma viagem para Manaus, no estado do Amazonas, onde já foram confirmados mais de 500 casos da doença e uma morte. Durante a viagem, ele se relacionou com uma pessoa que tinha suspeita de sarampo. A sobrinha do homem, uma menina de 2 anos, ficou doente por morar na mesma residência.  
Os dois não possuem vacinação para a tríplice viral. Os resultados dos exames não foram conclusivos no exame laboratorial preliminar do Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) e amostras de sangues foram encaminhadas para a Fiocruz-Rj, onde a doença foi confirmada. Outros três casos relacionados a esses pacientes estão em análise. 

Dia D de mobilização contra o sarampo e a poliomielite 


Crianças com idade entre um até menores de cinco anos deverão receber a dose, independente da sua situação vacinal. A campanha segue até o dia 31 de agosto. 
O governo tem como meta imunizar 11,2 milhões de criança para atingir o marco de 95% de cobertura vacinal infantil recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Porém, até a última terça-feira (14), 84% de crianças da faixa etária recomendada ainda não haviam recebido as doses.  
Mesmo as crianças que já estão com esquema vacinal completo deverão ser levadas para os postos de saúde para receber mais um reforço.  
No caso da pólio, as crianças que não receberam nenhuma dose, ao longo da vida, vão receber a vacina injetável e as que já tomaram uma ou mais doses devem receber a oral. Para o sarampo, as crianças com um até menores de cinco anos vão receber uma dose da Tríplice Viral, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.  

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

VEJA COMO FOI O DIA DOS BACAMARTEIROS EM SOLIDÃO

A paróquia Nossa Senhora de  Lourdes de Solidão, celebrou nesta quarta-feira 15/08/2018, mais uma festa dos bacamarteiros com apoio da prefeitura municipal,  este ano começou no dia 14 com recepção para os primeiros bacamatreiros que chegaram  as 16:00  horas, e foram recebidos no portal da cidade,  a programão  se estendeu até altas horas com apresentações culturais na praça. Outra novidade este ano foi a liberação da documentação dos bacamarteiros de Solidão  junto ao exército, onde  dá direitos ao tradicional tiro de riuna,  coisa que no ano passado não teve.No dia 15/08 a programação começou cedo com um café da manhã no portal da cidade, logo em seguida a procissão foi até a gruta onde  aconteceu  a missa,  com direito a salva de tiros, e para encerrar a prefeitura serviu o almoço na casa  dos romeiros regado de muito forró ao vivo.        










5 coisas que podem acontecer ao parar de ingerir anticoncepcional


 Os sintomas nas mulheres que param de tomar a pílula (Foto: Shutterstock)
As inúmeras alternativas disponíveis no mercado para evitar uma gravidez indesejada e até tratar algumas doenças têm motivado meninas e mulheres a deixarem de lado o uso da pílula anticoncepcional. Entretanto, a suspensão do medicamento pode apresentar algumas mudanças no organismo das mulheres que acontece devido à readaptação das alterações dos hormônios.
Abaixo, a ginecologista e obstetra de São Paulo, Dra. Maria Elisa Noriler explica quais são essas alterações:
Alteração de peso: Engordar ou emagrecer vai depender do organismo de cada mulher. Parar com o medicamento pode aumentar ou reduzir a retenção de líquidos e, às vezes, até causar alterações na dieta devido às oscilações de humor. “A saída nesse caso pode ser a prática de atividade física e o consumo de alimentos saudáveis que ajudam o corpo a equilibrar os níveis de hormônios”, explica a ginecologista.
Agravamento da TPM: O humor pode sofrer oscilações após o interrompimento do medicamento e isso acontece devido às mudanças hormonais que o corpo sofre durante essa fase. Alimentação saudável e atividade física também valem para amenizar os efeitos da tensão pré-menstrual.
Fluxos menstruais maiores e cólicas: Acontece porque quando o medicamento não está mais presente no organismo ele para de inibir o crescimento do endométrio – revestimento interno do útero que descama durante a menstruação e também devido a uma maior contração uterina. “Nesses casos, o uso de analgésicos e bolsas de água quente podem amenizar as dores”, explica Noriler.
Aumento da libido: Essa é uma das vantagens que acontece com algumas mulheres porque mantendo a ovulação elas têm uma elevação da testosterona, hormônio relacionado com aumento do desejo sexual. Outro efeito colateral para algumas mulheres é a diminuição da lubrificação vaginal com uso de pílulas, causando desconforto na penetração vaginal.
Aumento da acne facial e da oleosidade na pele: A pausa da pílula anticoncepcional também faz com que a produção da testosterona volte a ser natural,favorecendo o aparecimento de secreções de oleosidade, uma das causas das temidas acnes. Entretanto, o problema pode ser solucionado com o uso de alguns produtos indicados por um dermatologista.
“Todas essas reações costumam passar em até três meses, mas caso a paciente queira tanto começar como parar de usar a pílula, o ideal é sempre conversar com o profissional para tirar todas suas dúvidas e pedir auxílio para decidir qual é o melhor método contraceptivo para o seu organismo”, finaliza a especialista.Notícias ao Minuto

Morte de mãe e filhas em três segundas-feiras seguidas intriga a Bahia


Mãe filhas morreram em um intervalo pequeno de dias. Suspeita é envenenamento / Foto: Reprodução TV Bahia

Foto: Reprodução TV Bahia
Da redação do Correio
Para Rede Nordeste e jc
Um mistério está deixando os moradores do povoado de Nagé, em Maragojipe, no Recôncavo baiano, intrigados e assustados. No total, foram três mortes registradas nas três últimas semanas, sendo que as vítimas, uma mulher e duas crianças, são da mesma família. A suspeita da polícia é de que elas tenham sido envenenadas.
O enigma das mortes começou no dia 30 de julho, uma segunda-feira, quando a pequena Greicy Kelly Santos da Conceição, 5 anos, foi socorrida às pressas para o um hospital, em São Félix, depois de passar mal. O médico que atendeu a menina contou para a TV Bahia que ela estava salivando e com hiperglicemia, excesso de açúcar no sangue.
A notícia da morte da menina deixou todos surpresos e intrigados com o que poderia ter acontecido. Na semana seguinte, também em uma segunda-feira (6), a irmã dela, Ruth Santos da Conceição, 2, passou mal e foi socorrida às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Maragojipe. Ela chegou na unidade desfalecida e morreu no mesmo dia.
A mãe das duas crianças, Adriane Ribeiro Santos, 23, ainda estava se recuperando da perda das filhas quando passou mal essa semana, também numa segunda-feira (13), e precisou ser levada às pressas para a mesma UPA, expelindo secreção pela boca, dentre outros sintomas. Ela também não resistiu.

CASOS SÃO SEMELHANTES

Mãe e filha foram atendidas pelo mesmo médico, Sávilo Santana, que contou que elas apresentaram quadros similares quando deram entrada na UPA. "As duas estavam com sintomas muito parecidos. A filha do casal chegou sem reação na unidade, mas com bastante secreção. Na semana seguinte, a mãe também estava salivando, com muito suor e extremidades frias. Fizemos o possível para reanimar as duas, mas não conseguimos". 


INVESTIGAÇÃO

A polícia encontrou na casa da família uma medicação para tratar diabetes, com parte da cartela usada, mas familiares das vítimas ouvidos pela TV Bahia contaram que nem a mãe nem as crianças tinham a doença. A polícia aguarda o laudo da perícia para identificar as causas das mortes.
O Departamento de Polícia Técnica (DPT) informou que o laudo tem prazo legal de dez dias para ser concluído, mas que ele pode ser prorrogado caso haja necessidade de novos exames.
A Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) informou que uma equipe de Vigilância Sanitária do Núcleo Leste está na cidade orientando os técnicos de Maragojipe durante a perícia na casa das vítimas, realizada nesta quarta-feira (15).
Em nota, a prefeitura de Maragojipe informou que foram realizados todos os procedimentos cabíveis para tentar reanimar as vítimas. O pai das crianças e marido de Adriane também fez exames médicos.
“O Município, solidário com a dor dos familiares e preocupado com o mistério do caso, está prestando todo o apoio necessário para apuração dos fatos a fim de encontrar rapidamente as respostas e adotar as providências que se fizerem necessárias”, diz a nota.