quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Pastor trancava mulheres em 'quarto do castigo' com cobras para torturá-las por indisciplina


No quarto onde as vítimas dormiam não havia maçaneta, e o pastor as trancava pelo lado de fora / Foto: Divulgação/Polícia Civil

Foto: Divulgação/Polícia Civil
JC Online

pastor Edson Alberto Queiroz da Silva, preso nesta quarta-feira (16), trancava as integrantes do projeto de acolhimento para dependentes químicos dentro de um “quarto do castigo” com duas cobras, na tentativa de torturá-las por indisciplina. Uma delas passou três dias em cárcere privado sem alimentação. Esse e outros hábitos foram relatados pela delegada Natasha Dolci, titular da delegacia do Cabo de Santo Agostinho, onde as nove mulheres e três adolescentes denunciaram o religioso, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira.
A delegada também contou que Eddy de Jesus, como é conhecido, espancava as mulheres com mangueira, esfregava roupas íntimas nos rostos delas, e, em algumas situações, as algemava. Apesar da “fala mansa e do jeito amoroso”, detalhes destacados pela delegada, o depoimento das doze vítimas relatam o mesmo hábito do pastor, que, segundo elas, mudava de perfil quando as mães saíam do local.  
“Foi necessária a prisão preventiva por conta do medo que ele causa às testemunhas, devido à influência que exerce sobre outros religiosos que o apoiam. Isso poderia causar a coação de testemunhas ou até destruição de provas”, disse Natasha Dolci.
O juiz da 2º Vara Criminal autorizou a prisão por 30 dias, após colher relatos de agressão psicológica, física e constantes ameaças.

Ambiente insalubre

Informações divulgadas pela polícia, contam quem o abrigo funcionava em um sítio, composto por quatro casas. Apenas uma delas tinha o ambiente limpo e de possível vivência. “As outras casas têm um ambiente totalmente insalubre, sem guarda-roupas, todos os pertences das garotas misturados”, lamenta a delegada.

Em perícia na casa, agentes identificaram que no quarto onde elas dormiam não havia maçaneta. O pastor chegou a confessar à polícia que trancava as portas pelo lado de fora e só abria no dia seguinte, por volta das 5h.

FLORES: MECÂNICO É ASSASSINADO A LUZ DO DIA

A cidade  de Flores no sertão de PE, perdeu a calmaria de cidade do interior com um assassinato. 

A vítima conhecido como Porcimário, de 40, mecânico, foi assassinado à tiros por volta das 16h30 às margens da Rodovia Estadual PE 320, próximo ao portal de entrada da cidade de Flores , nas proximidades da oficina onde trabalhava. Segundo populares, a vitima estava na rua quando se aproximaram dois meliantes em uma motocicleta não identificada e efetuaram os disparos contra Procimário que morreu na hora.

Segundo Carlinhos do Alto, esposo de Dona Nena, tia da vítima, a motivação do crime ainda é desconhecida bem como os algozes que fugiram após a prática tomando destino ignorado.
A policia ainda continua em diligências no intuito de prender os elementos. O corpo de Porcimário foi levado para Serra Talhada e deverá ainda ser encaminhado ao IML de Caruaru.Com informações de Cauê Rodrigues

Realizar fantasias sexuais na cama podem melhorar os relacionamentos, indica estudo


 As fantasias sexuais entre os comprometidos são mais intensas, segundo a pesquisa realizada em Israel (Foto: shutterstock)
Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores fizeram quatro testes com voluntários. Nas duas primeiras etapas, todos estavam envolvidos emocionalmente com alguém e foram orientados a pensar em fantasias sexuais com essas pessoas. Depois, os participantes da pesquisa fantasiaram com pessoas diferentes e anotaram o conteúdo desses “sonhos”.

As duas etapas já deixaram claro que os voluntários que falaram sobre suas fantasias com quem estão envolvidos emocionalmente demonstraram mais vontade de fazer sexo , sujar o corpo e ousar na cama. Para dar continuidade ao estudo, porém, os participantes escolhidos para a pesquisa tiveram de registrar suas rotinas sexuais ao longo de três semanas.
Em um papel, eles anotaram suas percepções positivas e negativas das transas e, mais uma vez, mostraram que as fantasias entre os comprometidos são melhores. Para os estudiosos, os casais que fantasiaram com seus parceiros passaram a prestar atenção em mais aspectos positivos do relacionamento . Além disso, para realizar o que sonham precisaram ser abertos com quem vivem e o diálogo, é claro, contribui para os relacionamentos.
Perder a vergonha para realizar fantasias sexuais é importante
As fantasias sexuais entre os comprometidos são mais intensas, segundo a pesquisa realizada em Israel
A terapeuta de casais Elisabete Kuns fala sobre essa importância de ousar no sexo e realizar desejos com os parceiros. Para ela, muitas mulheres sentem vergonha de expor que sentem vontade de experimentar outras posições ou até mesmo desejos mais estranhos, mas é preciso superar essa timidez em nome da felicidade. O resultado da pesquisa, inclusive, é um argumento a mais para motivar quem não costuma colocar isso em prática.
“Como a relação de intimidade é uma construção, o que hoje é difícil, em outro momento, com maior esclarecimento, pode ser bem-vindo”, explica a profissional, que recomenda conversas e vídeos que possam excitar os casais para que as fantasias sexuais sejam colocadas em prática e melhorem os relacionamentos, como sugere o estudo. IG

Conheça novas regras para posse de arma no país


O decreto que flexibiliza a posse de arma de fogo no país foi assinado pelo presidente da República nesta terça-feira (15) / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
ABr e JC

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira (15) o decreto que flexibiliza as regras para a posse de arma de fogo no país, que já entrou em vigor. O decreto mudou algumas regras, como o prazo de renovação passou para dez anos.


Veja abaixo alguns pontos do novo decreto:

O que muda com o decreto?
O decreto trata da posse de armas, ou seja, o cidadão poder ter uma arma em casa. Com o decreto, poderá adquirir uma arma quem morar em cidade ou estado onde a taxa de homicídios seja superior a 10 para cada 100 mil habitantes, morar em áreas rurais, for dono de estabelecimentos comerciais ou industriais, militares, for agente público que exerce funções da área de segurança pública, administração penitenciária, integrantes do sistema socioeducativo lotados nas unidades de internação, da Agência Brasileira de Inteligência e no exercício do poder de polícia administrativa e correcional em caráter permanente ou for colecionador, atirador e caçador, devidamente registrado no Exército. Antes, a necessidade de ter uma arma era avaliada e ficava a cargo de um delegado da Polícia Federal, que poderia aceitar, ou não, o argumento.
O decreto anterior estabelecia que o registro deveria ser renovado a cada três anos, nos casos em que o Exército é responsável pela expedição, e a cada cinco anos, nas situações sob responsabilidade da Polícia Federal. O decreto publicado hoje unifica esses prazos em 10 anos.
Quem poderá ter a posse de arma?
A posse de arma de fogo de uso permitido pode ser concedida a quem atender aos requisitos dos incisos I a VII do caput do Artigo 12 do Decreto nº. 5.123, de 2004:
I - declarar efetiva necessidade;
II - ter, no mínimo, vinte e cinco anos;
III - apresentar original e cópia, ou cópia autenticada, de documento de identificação pessoal;
IV - comprovar, em seu pedido de aquisição do Certificado de Registro de Arma de Fogo e periodicamente, a idoneidade e a inexistência de inquérito policial ou processo criminal, por meio de certidões de antecedentes criminais da Justiça Federal, Estadual, Militar e Eleitoral, que poderão ser fornecidas por meio eletrônico;
V - apresentar documento comprobatório de ocupação lícita e de residência certa;
VI - comprovar, em seu pedido de aquisição do Certificado de Registro de Arma de Fogo e periodicamente, a capacidade técnica para o manuseio de arma de fogo;
VII - comprovar aptidão psicológica para o manuseio de arma de fogo, atestada em laudo conclusivo fornecido por psicólogo do quadro da Polícia Federal ou por estar credenciado.
 

Se eu conseguir a posse, isso significa que poderei sair na rua com a arma? 
Não. A posse dá direito de manter a arma apenas em casa ou no trabalho. Para sair da residência com a arma, é preciso autorização para o porte, que garante ao cidadão circular com a arma fora de casa, trabalho ou estabelecimento comercial, ou seja, poder andar com ela na rua. O porte de arma não é objeto do decreto. 
Quantas armas posso ter registradas em meu nome?
Não existe limite legal da quantidade de armas a serem registradas por cidadão. O decreto presidencial, em algumas situações, limita a aquisição de até quatro armas. Nesses casos, se o indivíduo tiver interesse em adquirir mais armas, deverá comprovar a efetiva necessidade. Se a pessoa tiver mais de quatro armas registradas e comprovar a necessidade de mais, poderá conseguir autorização para compra das demais.
Poderei ter em casa fuzis, metralhadoras ou armas automáticas?
Não, o decreto somente facilita a posse de armas de uso permitido e não inclui armas de uso restrito, como armas automáticas ou fuzis.
Perdi o prazo de regularização das armas. Poderei ser anistiado?
O decreto não prevê anistia para quem perdeu o prazo para recadastramento, que terminou em 2009. Essa medida demanda mudança legislativa, o que só pode ser feita por meio de lei. O decreto prevê a renovação automática dos certificados de registro de arma de fogo expedidos pela Polícia Federal antes da data de publicação do ato, e ainda vigentes, pelo prazo de dez anos.
Por quanto tempo valerá a autorização de posse de arma?
O prazo passou de cinco para dez anos com o decreto
Como faço para solicitar o registro e quais os documentos necessários?
Primeiro, o interessado precisa obter uma autorização da Polícia Federal para comprar a arma. Para isso, deve preencher os requisitos previstos no Artigo 12 do Decreto nº. 5.123, de 2004. Depois de comprar a arma, deve-se ir a uma unidade da Polícia Federal para fazer o registro com os seguintes documentos: requerimento preenchido disponível no site da PF, autorização para adquirir arma de fogo, nota fiscal de compra da arma de fogo e comprovante bancário de pagamento de taxa devida por meio da Guia de Recolhimento da União – GRU.
Onde devo guardar a arma? 
Em um local seguro, como um cofre ou um local com tranca, de difícil acesso por parte de crianças, adolescentes ou pessoas com deficiência mental.
Se eu não tiver um cofre para guardar a arma, serei punido?
Se, na residência houver criança, adolescente ou pessoa com deficiência, o interessado deve se assegurar que a arma seja armazenada em segurança, pode ser um cofre ou local com tranca. Será exigido do interessado a apresentação de declaração de que mantém a arma em um cofre ou local com tranca. Se a criança, adolescente ou pessoa com deficiência tiver acesso à arma por falta de cuidado do responsável, este incorrerá na prática do crime de omissão de cautela do art. 13 da Lei nº 10.826/2003, com até dois anos de prisão.